Há muito tempo não escrevo, talvez por falta de tempo ou por falta de inspiração… Costumava encontrar inspiração quando estava triste ou com raiva de alguma coisa. Não que isso fosse um processo consciente, mas, analisando bem, creio que encontrava na escrita uma forma de extravasar alguns sentimentos negativos, como se fosse uma terapia. E até que funcionava.

Agora que esses sentimentos não são mais predominantes no meu espírito, apesar de volta e meia os encontrar no meu caminho, veio-me uma inspiração de escrever sobre a singela beleza da vida… Sim, porque apesar de muitos dizerem o contrário, a vida é bonita, mas nem todo mundo é capaz de enxergá-la assim.

Vejamos algumas provas diárias, que passam despercebidas para a grande maioria, que parece preferir sempre ver o lado ruim e feio das coisas.

Certa manhã, estava andando para o trabalho e vi um bebê observando maravilhado um lírio, que até então só havia chamado a sua atenção, apesar de milhares de pessoas terem passado por aquela mesma calçada, inclusive eu. Pensei na beleza daquela cena singela de 2 seres puros se entreolhando: o bebê com sua inocência, descobrindo um mundo novo que se abria à sua frente e o lírio, com seu perfume encantado e sua perfeição indescritível. Senti-me privilegiada por poder ver aquela cena tão única!

Em outro dia, tinha ido à minha aula de dança, como usual, e reparei na alegria de uma colega que, nos seus 50 anos de idade, nunca conseguia ir para o lado certo do passo na coreografia, mas, mesmo assim, amava dançar! Toda vez que eu a olhava, ela sorria para mim e fazia um gingado só dela, sempre despreocupada se estava fazendo certo ou não. Quanta autenticidade e desprendimento! Maravilhei-me!

Para citar mais um exemplo, estava eu na Argentina, saindo de uma sorveteria, quando uma menina que andava pelas ruas vendendo cristais, ofereceu-me para compra-los. Eu disse que não queria e continuei andando. Foi então que ela pôs um cristal branco na minha mão e me disse que era presente (“pressente” no seu portunhol). Eu fiquei sem reação na hora e falei, então, que queria pagar pelo cristal, perguntando quanto custava. E ela continuou dizendo que era presente, recusando-se a receber o dinheiro. Essa cena comoveu-me muito, ainda mais pelo fato de que só eu, no grupo de 6 pessoas com quem eu estava, gostava de cristais. Pensei em quão misteriosa é a vida e como ainda há gestos espontâneos e desinteressados de pessoas que menos esperamos.

Assim como nesses pequenos exemplos, a vida está cheia de momentos únicos que merecem ser deliciados, mas que, se não observados com atenção, parecem inexistentes. Que tal começarmos a reparar mais neles?

B.B.

Anúncios

Uma resposta »

  1. Lau disse:

    E a vida! É Bonita, e é bonita!!!! Muito feliz que vc voltou a escrever!!! Isso sim traz beleza aos nossos dias! Vc brilha B.B.! Love You!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s